Xaropes

Xaropes e Gotas para Tosse

Jul 18

Definição

Os xaropes são formulações farmacêuticas que contêm grande quantidade de açucares, fazendo com que o líquido fique "vicioso", "meio grosso" ("xaroposo"). Neste veículo ou líquido coloca-se então a substÂncia medicamentosa que vai trazer o efeito benéfico desejado pelo médico que a receitou. Assim, existem xaropes para a tosse onde o medicamento ativo é geralmente a codeína ou o zipeprol.

Mas também existem outras maneiras de preparar tais remédios. Ao invés de colocá-lo num xarope, faz-se uma solução aquosa, às vezes com um pouco de álcool, tendo-se assim as chamadas gotas para tosse! A substÂncia ativa contida nas gotas é também geralmente a codeína ou o zipeprol. Estas duas substâncias, codeína e ziperol, estão entre os remédios mais ativos para combater a tosse: são por isto chamadas de antitussígenas ou béquicas.

Existe um número muito grande de produtos comerciais a base de codeína.

A codeína é uma substância que vem do ópio; trata-se, desta maneira, de um opiáceo natural.

O zipeprol é uma substância sintética, isto é, fabricado em laboratório. Devido a sua grande toxicidade, o zipeprol foi banido no Brasil.

Efeitos no cérebro

O cérebro humano possui uma certa área - a chamada Centro da Tosse - que comanda os nossos acessos de tosse. Isto é, toda vez que ele é estimulado há a emissão de uma "ordem" para que a pessoa tussa. Existem drogas (codeína, zipeprol) que são capazes de inibir ou bloquear este centro da tosse; assim, mesmo que haja um estímulo para ativá-lo, o centro estando bloqueado pela droga não reage, isto é, não dá mais a "ordem" para a pessoa tossir; ou seja, a tosse que vinha ocorrendo deixa de existir.

Mas a codeína e o zipeprol agem em mais regiões no cérebro. Assim, outros centros que comandam as funções de nossos órgãos são também inibidos: como a codeína, a pessoa sente menos dor (ela é um bom análgésico), pode ficar sonolenta, a pressão do sangue, o número de batimento do coração e a respiração podem ficar diminuidas.

O zipeprol pode atuar no nosso cérebro, fazendo a pessoa sentir-se meio aérea, flutuando, sonolenta, vendo ou sentindo coisas diferentes. E com frequência leva também a acessos de convulsão, o que é obviamente perigoso.

Efeitos no resto do corpo

A codeína possui os vários efeitos das drogas do tipo opiáceas. Assim, é capaz de dilatar a pupila, de dar uma sensação de má digestão e produzir prisão de ventre.

O zipeprol, além da possibilidade de produzir convulsões, pode também produzir náuseas.

Aspectos Gerais

A codeína leva rapidamente o organismo a um estado de tolerância. Isto significa que a pessoa que vem tomando xarope à base de codeína, como "vício", acaba por aumentar cada vez mais a dose diária. Assim, não é incomum saber-se de casos de pessoas que tomam vários vidros de xarope ou de gotas para continuar sentindo os mesmos efeitos. E se elas deixam de tomar a droga, estando já dependentes, aparecem os sintomas de chamadas síndrome de abstinência. Calafrios, câimbras, cólicas, nariz escorrendo, lacrimejamento, inquietação, irritabilidade e insônia são os sintomas mais comuns da abstinência. Com o zipeprol há também o fenômeno da tolerância embora com intensidade menor. O pior aspecto do uso crônico (repetido) dos produtos à base do zipeprol é a possibilidade de ocorrência de convulsões.

Fonte: CEBRID - Departamento de Psicobiologia - Escola Paulista de Medicina

Ler 102 vezes Última modificação em Terça, 18 Julho 2017 12:54
Super User

Lorem ipsum dolor sit amet consectetuer Curabitur enim id et ornare. Consequat urna elit urna Ut elit interdum est magna Donec tortor. Sagittis malesuada id dis Morbi facilisi velit lacinia augue nec Lorem. Nulla aliquet ac tincidunt ante Phasellus at metus eros wisi lorem. Quisque turpis nunc lorem a est justo congue convallis Phasellus sed. Libero massa.

Website.: www.joomlart.com
DMC Firewall is a Joomla Security extension!